Prefeito de Bonfinópolis de Minas fala da importância da parceria da Irriganor nos levantamentos sócio ambientais nas propriedades rurais deste município.

181207 - 11373 - Bonfinópolis de Minas-MG - 01

   O prefeito de Bonfinópolis de Minas -MG, Donizete Antonio dos Santos, concedeu uma entrevista à bióloga e colaboradora da Irriganor, Juliana Gracieli, a respeito da importância da Irriganor na região e sua participação nos projetos que envolvem principalmente, os recursos hídricos, além de abordar a preocupação do município no melhoramento da gestão dos recursos hídricos. Confira abaixo.

1 – Qual a importância dos levantamentos que vêm sendo realizado na região de Bonfinópolis de Minas?

        Estamos realizando trabalhos buscando melhorar o uso dos nossos recursos hídricos e a recuperação de áreas degradadas, de modo a obter produção com equilíbrio com o meio ambiente. Esse trabalho envolve desde o diagnóstico preliminar, realizado através do Zoneamento Ambiental e Produtivo – ZAP, em parceria da Prefeitura Municipal, Irriganor e Sebrae, levantamento de campo, mobilização dos produtores e desenvolvimento das ações concretas, como cercamento de nascentes, replantio de mata ciliares, construção de terraços, barraginhas, capacitação técnica para manejo de pastagens e recuperação de áreas degradadas. Assim, consideramos que os levantamentos que estão sendo realizados serão fundamentais para o sucesso do trabalho, uma vez que, teremos dados concretos e confiáveis para o desenvolvimento dos trabalhos.

O objetivo principal do trabalho é que Bonfinópolis de Minas seja reconhecido como Município Produtor de Água, assim, teremos água para ampliar a nossa produção agrícola e pecuária, para o consumo das pessoas, para o consumo animal e para contribuir para a revitalização do Rio São Francisco.

2 – Qual a importância da participação da Irriganor nestes levantamentos?

      A participação da Irriganor é fundamental para o sucesso dos trabalhos que estão sendo realizados, pois ela agrega produtores rurais, e em especial os irrigantes que têm muito a contribuir para o sucesso do trabalho. Antes da Irriganor não havia na região um forma organizada para tratar dos assuntos que envolvem os irrigantes, de forma que quando tínhamos alguma demanda a ser tratada, teria que ser de forma individual, ou em reuniões, sem ter um liderança com capacidade de aglutinar as opiniões que geralmente são divergentes. Com a Irriganor ficou mais fácil tratarmos das questões que são afetas aos produtores rurais, pois a Irriganor os representa, com legitimidade. Ademais, a Irriganor passou a ter representatividade para também auxiliar o poder público no desenvolvimento das políticas públicas, em especial nas políticas agrícolas e ambientais.

Com relação especificamente à parceria na microbacia do Ribeirão Almas, a participação da Irriganor se deu deste o início, com a participação em reuniões, com o apoio junto ao Sebrae e ajudando no financiamento do Zoneamento Ambiental e Produtivo – ZAP, e agora com o apoio financeiro e técnico para os levantamentos de campo para identificação e monitoramento das diversas nascentes que compõem a microbacia do Almas e  para a implantação de duas Unidades de Referência, que tem por objetivo transformá-las em propriedades modelos de ações de revitalização e produção sustentável.

3 – O quê a gestão de Bonfinópolis de Minas espera com esses levantamentos e quais são as ações propostas a serem desenvolvidas na região?

Os levantamentos têm três objetivos principais:

1) Obter dados e informações para conhecimento da real situação das nascentes do Ribeirão Almas, para estabelecer ações concretas;

2) Subsidiar projetos para captação de recursos externos para os projetos a serem desenvolvidos;

3) Conscientizar a população da importância de adotar um manejo equilibrado do nosso meio ambiente, de forma a produzir respeitando-o e em especial as nascentes que são tão importantes para a prosperidade da vida na região.

      Com as informações obtidas, o Poder Público, os Irrigantes, os Ribeirinhos e a população em geral, terão condições de desenvolver práticas sustentáveis de produção e preservação dos recursos hídricos.  Atualmente, estamos desenvolvendo ações concretas, como cercamento de veredas; construção de terraços e barraginhas em parceria com os produtores rurais e principalmente, cursos de manejo do solo, de recuperação de pastagens e recuperação de áreas degradadas. Também apresentamos projetos junto à Companhia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco – Codevasf e Comitê da Bacia do São Francisco objetivando recursos para ações de recuperação e preservação de recursos hídricos. Também estamos implantando duas Unidades de Referências, com são propriedades onde serão realizados trabalhos mais intensos, com o objetivo de servir de modelo para as demais propriedades.

 

Por: Juliana Gracieli R. de Oliveira

Foto: O Diário Daqui